Novas

Conheça as gírias que acabaram de ser adicionadas.

mão na roda

É uma expressão popular usada para descrever uma situação em que algo ou alguém ajuda a resolver um problema ou uma dificuldade de forma rápida e eficiente. A expressão sugere que a ajuda recebida pode ser comparada a um apoio extra na hora de empurrar uma roda emperrada, facilitando o movimento. A origem da expressão não é clara, mas existem algumas teorias. Uma delas é que a expressão vem do mundo dos transportes, em que as rodas dos veículos precisam de manutenção constante para funcionar bem. Quando uma roda emperra, é preciso de ajuda extra para empurrar o veículo e fazer a roda girar novamente. Essa ajuda extra seria uma "mão na roda".

Esse aplicativo de transporte é uma mão na roda pra quem precisa se locomover na cidade sem estresse. É só baixar, chamar o motorista e pronto!



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

agarrar com unhas e dentes

É uma expressão usada para descrever a atitude de alguém que defende algo com muita determinação, garra e persistência, não querendo abrir mão disso de forma alguma. A imagem transmitida pela expressão sugere uma luta intensa, em que a pessoa segura algo com força, agarrando-o com unhas e dentes, sem deixar que escapem. A origem da expressão não é clara, mas existem algumas teorias. Uma delas é que a expressão vem do hábito dos animais, como cães e gatos, que costumam agarrar suas presas com as unhas e dentes para não deixá-las escapar. Outra teoria é que a expressão tem origem no folclore português, em que existe a figura do "homem de unhas e dentes", um personagem que lutava com muita garra e determinação.

Essa oportunidade é uma benção de Deus! Vamos agarrar com unhas e dentes e fazer valer a pena! Não podemos perder essa chance!



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

abandonar o barco

A expressão é usada para descrever a situação em que alguém desiste de uma atividade, projeto ou responsabilidade, deixando outras pessoas para trás ou em uma situação difícil. A expressão sugere uma atitude de abandono ou traição, em que a pessoa deixa de cumprir a sua parte ou de assumir a sua responsabilidade diante de uma situação. A origem da expressão remonta aos tempos em que as viagens marítimas eram mais comuns e os navios eram o principal meio de transporte. Quando um navio estava em perigo, os tripulantes tinham que decidir se deveriam lutar para salvar a embarcação ou abandoná-la. Quando a decisão era de abandonar o navio, isso significava que cada um dos tripulantes deveria cuidar de si mesmo e buscar uma forma de sobreviver, deixando o navio e os outros tripulantes para trás.

Se for pra jogar contra você, eu prefiro abandonar o barco e procurar outra equipe. Não quero ter que te enfrentar em campo.



1
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

baixar a crista

A expressão é usada para descrever uma situação em que alguém se submete ou se subordina a outra pessoa ou reconhece sua inferioridade em relação a ela. A expressão sugere uma atitude humilde e submissa, em que a pessoa reconhece o seu lugar na hierarquia social ou profissional. A origem da expressão remonta ao comportamento das aves, especialmente dos galos. Quando um galo está confrontando outro, ele levanta a cabeça e estufa o pescoço, exibindo a sua crista. A crista é o órgão vermelho que fica no topo da cabeça do galo e que serve para atrair a atenção das fêmeas e intimidar os rivais. Quando o galo é derrotado, ele abaixa a cabeça e a crista, reconhecendo a superioridade do vencedor.

Tive que engolir o orgulho e baixar a crista pra aceitar o trampo com um salário mais baixo. Mas é melhor ganhar menos do que ficar desempregado, né?



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

custe o que custar

A expressão é usada para indicar que uma pessoa está disposta a fazer qualquer coisa para alcançar um objetivo, independentemente do esforço, sacrifício ou dificuldade necessários para alcançá-lo. A expressão sugere uma determinação inabalável em relação a um objetivo. A origem da expressão não é clara, mas pode estar relacionada ao uso do dinheiro como recurso para alcançar um objetivo. A expressão sugere que a pessoa está disposta a gastar todo o seu dinheiro ou recursos para alcançar o objetivo desejado, independentemente do custo financeiro ou material.

Pode vir o que vier, vou lutar pelo que é justo, custe o que custar. Aqui no Rio, a gente não desiste fácil não, viu?



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

viver como um rei

A expressão é usada para descrever uma vida de luxo, conforto e abundância. A expressão sugere uma vida em que todas as necessidades são satisfeitas, sem qualquer preocupação financeira ou material. A origem da expressão remonta à época medieval, quando os reis eram considerados as pessoas mais poderosas e ricas do mundo. Naquela época, os reis eram cercados por luxo e opulência, com seu próprio palácio, exército, corte e diversos servos à sua disposição. O modo de vida dos reis era tão sofisticado e extravagante que se tornou um símbolo de riqueza e poder.

Se você quer saber o que é viver como um rei, é só olhar pra vida do Amilton, que tem tudo o que quer e mais um pouco.



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

viver debaixo do mesmo teto

A expressão é usada para descrever a situação em que duas ou mais pessoas compartilham o mesmo espaço físico, geralmente uma casa ou um apartamento. Essa expressão é comumente usada para descrever a convivência diária de pessoas que moram juntas, como membros de uma família, colegas de quarto ou casais. A origem da expressão remonta à época em que as pessoas viviam em habitações coletivas, como as vilas ou aldeias, onde várias famílias compartilhavam o mesmo espaço físico. Nessas habitações, muitas vezes havia apenas um telhado que abrigava várias famílias, tornando a convivência diária inevitável.

Maria tá vivendo com o ex-marido debaixo do mesmo teto desde que se separou. É uma situação difícil, mas eles estão tentando se entender.



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor

um caixão para dois defuntos

A expressão é usada para se referir a uma situação na qual duas pessoas estão tão intimamente ligadas que seria difícil separá-las, mesmo após a morte. Essa expressão é comumente usada para descrever um casal que viveu uma vida longa e feliz juntos e que morreu com pouca diferença de tempo entre um e outro. A origem da expressão não é clara, mas pode ter surgido a partir da prática de sepultar casais em um único caixão em algumas culturas ou tradições funerárias. Essa prática é comum em algumas culturas e é uma forma de simbolizar a união e a conexão entre duas pessoas que viveram juntas durante muito tempo.

Olha, eu conheço os dois e não vejo como esse casamento pode dar certo. É um caixão para dois defuntos, infelizmente.



0
0
por: Foto do(a) Autor(a) André Victor
Cabeçalho - Top da Galera
Os Top da Galera
702 contribuições
381 contribuições
166 contribuições
52 contribuições
34 contribuições